O renascimento de TRINK


TRINK renasce hoje! Sim, é isso mesmo, TRINK está de volta! E para marcar bem o momento, nada melhor do que abordar a questão do renascimento.

Antes de prosseguirmos, aproveito para justificar a parada de TRINK declarando que algo em mim morreu em 2013, e TRINK foi junto. Entretanto, no mesmo instante esse movimento abriu portas que me levaram a novos caminhos nesses quatro anos. Sim, quatro anos de provações, descobertas e superações que me permitiram trazer TRINK de volta à vida.

Renascimento? Como assim, renascimento?

Isso é o que estamos sempre fazendo. Nós e tudo o mais que nos cerca. Nossas células morrem. E renascem. Nossa infância e juventude morrem para renascerem como parte de uma pessoa mais madura. As pessoas que conhecemos um dia se vão, e novas surgem. Nossos planos morrem quando renascem transformando-se em realizações, frustrações ou são simplesmente esquecidos, situação esta em que permanecem como uma força que mina nossa autoestima. Nossos sonhos morrem quando renascem transformando-se em algo que nos eleva, algo real, ou quando são abandonados, matando um pedaço de nós, de nossa alma. A maior parte de nossa família morreu antes de nós para que pudéssemos estar aqui. Da mesma forma muitos povos cederam seu espaço, geralmente através de alguma ação brutal, para que nós estejamos aqui hoje. Civilizações morreram e, de alguma forma, seus registros de memória ficaram impregnados no seu porvir, em nós. Nosso planeta não existiu sempre. Algo morreu antes dele nascer e, por causa disso, ele nos permitiu estar aqui. Um dia ele morrerá, num futuro humanamente longínquo, tanto que de nós provavelmente não restará nada, nem lembranças – pelo menos em termos físicos, nos formatos com os quais nossa limitada ciência trata hoje.

Um dia uma parte minha morreu e ela, por sua vez, levou TRINK. Através desta morte eu me senti incapaz de dizer algo útil, incapaz de me expressar de forma satisfatória e sincera através das palavras. Então, por coerência, parei. Preciso ser sincero. Preciso estar presente. Ou me calar. Você já perdeu algo? Algo que o parasse em alguma caminhada, em alguma realização, em algum sentimento? Já perdeu algum sonho na jornada desta vida?

Renascer é nascer de novo. É o início de uma nova situação a partir do término de outra. O que morreu subsiste como registros, na forma de memórias e aprendizados, e assim torna-se parte integrante da nova situação que nasce. Esse movimento é uma lei em nosso universo e se repete indefinidamente em tudo o que observamos.

“O movimento do Tao nasce dos opostos.”
Tao Te Ching

Quando algo em mim morreu em 2013, e me impediu de andar como estava andando, entendi que era em mim mesmo que eu devia buscar o porquê. Intuí que algo precisava sair e eu, de alguma forma, estava impedindo. Entendi que não são os outros, o mundo, a política, as injustiças ou seja lá o que for a que eu poderia atribuir a culpa. A razão devia estar em mim. Isso motivou uma busca pessoal e esta me mostrou trancas para as quais tive que procurar pelas chaves. A busca me levou a um patamar mínimo de condições para realizar o renascimento de TRINK.

A busca se tornou o algo a compartilhar. E o objetivo se apresentou como aquilo que podemos e precisamos ser para superar a infância e criar um mundo melhor.

A busca trouxe um sonho ao início de sua realização. A volta de TRINK é o passo inicial e os próximos estão sendo criados e serão compartilhados mais adiante.

O que vem por aí?

Nas próximas publicações vamos aprofundar essa questão do renascimento. Vamos olhar para nossa civilização e de seu processo nesse movimento, pois é provável que, da forma como está organizada, ela está rumando para um fim e este, por sua vez, levará a uma mudança. Deste processo faz parte o movimento de renascimento pessoal, pois não poderemos ter um mundo diferente, mais justo e autossustentável se, antes, nós não nos modificarmos. Afinal, quem faz esta civilização?

Aguarde!

Uma mensagem final.

TRINK foi feito por e para vocês, caros leitores. Alguns estão nessa jornada comigo há dezenove anos, desde o início de ~A Revista~. Muitos estão há muitos anos. Gratidão a todos.

TRINK terá agora uma regularidade de duas publicações mensais que deverão chegar a vocês no domingo pela manhã. Domingo sim, domingo não.

Luciano Pillar, editor e escritor de TRINK.

Anúncios

Sobre Luciano Pillar

Brasileiro de Porto Alegre, RS. Segundo um leitor: "Capaz de despertar as pessoas através das letras, mesclando temáticas improváveis e fazendo-as chegar a conclusões maravilhosas". Veja mais aqui.
Esse post foi publicado em Sem Categoria e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s